Home > Temas > Investigação Geotécnica > Sobre

Investigação Geotécnica

A ABMS possui uma Comissão Técnica específica com o tema Investigações de Campo.

Atividades

- Comunicado nº 9 - Maio de 2008

- Ata da primeira reunião ordinária de 2008 - Coimbra/Portugal

- Relatório de Atividades de 2007


Apresentação

A CTIC foi criada para colaborar com a ABMS no sentido de divulgar e valorizar cada vez mais as diversas técnicas de ensaios de campo empregadas no Brasil, desde a sondagem de simples reconhecimento com medida de resistência à penetração dinâmica, o (SPT), até os mais modernos métodos disponíveis hoje no mercado, tais como os ensaios de piezocone (CPTU), dilatômetro plano (DMT), Pressiômetros (PMT), Palheta (FVT), provas de carga (PC), ensaios geofísicos etc. A grande missão da Comissão Técnica de Investigações de Campo é estabelecer um diálogo permanente com a comunidade geotécnica brasileira, buscando mostrar através de participações em congressos, simpósios, ciclos de palestras, mini-cursos e outros eventos semelhantes, as potencialidades de aplicação e as desvantagens associadas às diversas técnicas de investigação disponíveis, tanto para aplicação em pesquisa como para solução de problemas de geotecnia.

A Comissão Técnica de Investigações de Campo (CTIC), criada no âmbito da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS), é composta por pesquisadores, na grande maioria professores das Instituições de Ensino Superior brasileiras, estudantes (de pós-graduação, principalmente) e profissionais que atuam na área de Investigações Geotécnicas. O principal objetivo da CTIC é fortalecer e incentivar o conhecimento técnico a respeito dos diversos métodos de Ensaios de Campo empregados no Brasil e em outros países, contribuindo para a prática de uma Engenharia Geotécnica cada vez mais moderna e segura, colocada à disposição da comunidade brasileira.

Objetivos específicos da CTIC

Reunir grupos de pesquisadores, estudantes e profissionais em torno da discussão sobre as potencialidades do emprego de diferentes técnicas de ensaios de campo;

Promover a constante atualização do meio técnico brasileiro quanto ao emprego das técnicas de ensaios “in situ” disponíveis no mercado;

Manter a vanguarda das discussões a respeito das técnicas de ensaios de campo, promovendo debates em congressos e em outros eventos congêneres;

Formular políticas, estabelecer diretrizes, coordenar e articular ações que fortaleçam a boa prática de ensaios de campo no Brasil, estimulando cada vez mais a interação entre academia-empresa;

Colaborar, quando convidada, na elaboração de normas específicas de cada técnica de ensaio de campo empregada no Brasil, sempre que se fizer necessário.

Estrutura organizacional

Integram a CTIC sócios da ABMS que trabalham principalmente com Ensaios de Campo e Fundações, e no momento esse grupo é composto de aproximadamente 70 membros. A Diretoria da Comissão é formada pelo Presidente e um Secretário, subordinada à diretoria da ABMS. O mandato da diretoria da CTIC dura 02 (dois) anos, sem qualquer remuneração, podendo haver reeleição por igual período.

Histórico da CTIC

No período fevereiro-abril de 1998, por sugestão da ABMS, estimulada pelo Prof. Fernando Schnaid, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi realizada uma reunião com membros da comunidade geotécnica brasileira para discutir a formação de uma Comissão Técnica para tratar do tema Investigação de Campo. Essa reunião se deu em junho de 1997, no Rio de Janeiro, durante a realização do Simpósio intitulado “Recent Development in Soil and Pavement Mechanics”. Conforme o documento, os participantes da reunião decidiram encaminhar à diretoria da ABMS, para deliberação, o seguinte:

a)    sugerir a formação de uma Comissão Técnica da ABMS em Investigação de Campo, objetivando congregar profissionais atuantes em atividades relacionadas às áreas de ensaios de campo e instrumentação;

b)    formular uma política nacional para atuar em estreita ligação com os comitês Técnicos da Sociedade Internacional de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ISSMGE Technical Comittees);

c)    encaminhar os nomes dos colegas Fernando Schnaid (UFRGS) e Fernando Artur Brasil Danziger (COPPE-UFRJ), para compor a primeira diretoria da referida Comissão, ocupando os respectivos cargos de presidente e secretário;

d)    sugerir a primeira reunião formal da Comissão Técnica de Investigação de Campo, que realizou-se no dia 14 de novembro de 1997, durante a realização da II COBRAE (Conferência Brasileira de Encostas), na cidade do Rio de Janeiro;

Da reunião que aconteceu durante a II COBRAE, foi aprovada a proposta de Estatuto da Comissão ora criada, que foi enviada à diretoria da ABMS da época. Ainda durante essa reunião foi encaminhada a proposta de organização do I SBIC – Simpósio Brasileiro de Investigação de Campo –, previsto para acontecer no primeiro semestre de 1999. Deliberou-se ainda pela elaboração de “Relatórios Técnicos Nacionais”, voltados à prática da engenharia em áreas de reconhecida experiência técnica nacional. Propôs-se na primeira etapa a elaboração de relatórios sobre o SPT, Palheta e Piezocone. Na época da criação, a Comissão de Investigação de Campo contava com aproximadamente 30 membros.

Durante esses anos a Comissão vem se consolidando com a participação em eventos internacionais como o CPT’10, Huntington Beach, California, USA e mais recentemente o ISC’4, em Porto de Galinhas, PE, Brasil, evento esse promovido pela ISSMGE e ABMS, tendo como presidente Prof. Roberto Q. Coutinho (UFPE).

O quadro abaixo apresenta as diretorias da CTIC desde a sua criação até a atual.

 

Noticias da Norma de Sondagens 6484-2001

A Norma intitulada “NBR 6484-2001 - Solo – Sondagem de simples reconhecimento com SPT – Método de Ensaio” encontra-se em processo de revisão. Para tanto foi criada uma Comissão de Estudos (CE) subordinada a Comitê Brasileiro da Construção Civil da ABNT/CB-02. A abertura dos serviços da CE ocorreu no dia 14/08/2012 e foi presidida pelo Sr. Paulo dos Campos pertencente ao CB-02 que procedeu a eleição do presidente e secretária da CE. O colega Eng. Artur Quaresma Filho e o Eng. Edgar Odebrecht forma eleitos para os cargos de Presidente e secretário respectivamente. A CE está composta atualmente por 4 Membros do grupo Neutro (David de Carvalho da Unicamp; Anna Silvia Pacheco Peixoto da Unesp; Fernando A. B. Danziger da UFRJ; Edmundo Rogério Esquivel da USP); 6 Membros do grupo de  Produtores (Fernando Damasco Penna e Antônio Sérgio Damasco Penna da Damasco Penna; Elisangela Oliveira e Jeferson Guimarães da FUGRO; Artur Quaresma Filho da Engesolos e Edgar Odebrecht da Geoforma) e 1 Membro do grupo de Consumidores (Ivan Grandis da ABGE). A CE está se reunindo fisicamente uma vez por mês e efetuando discussões fechadas pela internet. Tão logo estejam definidas as primeiras linhas de mudança da atual norma, a mesma será disponibilizada para os associados da ABMS que poderão colaborar na revisão.

Solicitamos que os sócios interessados em participar e/ou acompanhar os trabalhos de uma determinada CT enviem um e-mail para o respectivo presidente, com cópia para a secretaria da ABMS. A inscrição em uma ou mais comissões é gratuita.