Painel do Associado

15º edição da Palestra Milton Vargas conta com mais de 130 pessoas em Recife

sexta-feira, 10 de maio de 2019 comentários

A primeira parada da Palestra Milton Vargas de 2019 ocorreu em Recife (PE) no último dia 2/5. Em sua 15ª edição, o tema escolhido é de grande relevância para os dias atuais “Geotecnia ambiental aplicada a depósitos de resíduos sólidos: investigação ambiental, projetos e controle tecnológico de obras”, abordado pelo engenheiro e professor José Fernando Thomé Jucá. A palestra recebeu mais de 130 participantes.

Segundo Ricardo Severo, presidente do Núcleo Nordeste da ABMS, “a Palestra Milton Vargas foi um sucesso como esperado, superando todas as expectativas”. A capacidade do auditório ficou esgotada. “Jucá domina o assunto, ao qual dedica-se há mais de trinta anos”, disse Severo. “Ele despertou a curiosidade e o interesse de todos, que ao final da palestra puderam fazer suas perguntas e colocações. A palestra teve duração de uma hora e após a mesma foram dedicados quarenta minutos ao debate.”

Acesse aqui a agenda completa da Palestra Milton Vargas 2019

Estavam presentes, associados e não associados da ABMS, profissionais das áreas de projeto e execução, professores, alunos de graduação e pós-graduação da área geotécnica. Jucá abordou os diversos aspectos da temática envolvendo os depósitos de resíduos sólidos com ênfase nos aspectos geotécnicos e as adaptações da geotecnia clássica à geotecnia aplicada a obras ambientais – que se comportam de acordo com as propriedades físicas e bioquímicas dos materiais envolvidos. Também tratou dos ensaios de laboratório e de campo, os parâmetros geotécnicos aplicados a projetos de aterros sanitários sustentáveis, o encerramento de lixões e as implicações geotécnicas e ambientais no uso de áreas de antigos depósitos de resíduos, aplicando os conceitos de compressibilidade e de resistência dos materiais à estabilidade dos aterros sanitários.

Resíduos sólidos urbanos

Jucá mostrou muitos resultados, buscou responder todas as perguntas e abordou a questão da Geotecnia voltada aos resíduos sólidos com maestria. Foi feita uma explanação geral da concepção dos resíduos sólidos no mundo, incluindo aspectos ambientais, econômicos, socias e políticos.

O engenheiro afirmou que os resíduos devem ser coletados e tratados. Deve-se ter cuidado com os projetos, com a execução, com o controle e a manutenção, inclusive no pós-operação – quando o aterro já esgotou a sua capacidade. Além de criar um sistema de impermeabilização para evitar a contaminação do subsolo e do lençol freático, é necessário acompanhar no decorrer dos anos a área de instalação do Aterro Sanitário e adotar medidas para que ela seja aproveitada sem causar danos ambientais futuros.

Tal área de geotecnia ainda está escassa de profissionais. “Muito está sendo feito, mas ainda há muito o que fazer. Tem espaço para muita gente que queira trabalhar nessa área, afinal essa questão afeta os municípios brasileiros e pode gerar impactos significativos ao meio ambiente, caso não seja tratada com o devido cuidado técnico”, afirma Severo.

Segundo Jucá, “muita gente ainda terá que se envolver nessa temática para resolver os grandes problemas de destinação dos resíduos sólidos urbanos ainda nas próximas décadas. Temos muito trabalho pela frente”.

Meio ambiente

Jucá alertou sobre os impactos ambientais. Citou as medidas que devem ser tomadas como prevenção ao longo dos anos. Destacou a atenção que se deve ter na seleção dos materiais e da coleta seletiva.

“É importante conscientizar a todos que os resíduos sólidos urbanos não são necessariamente lixo. Eles podem ser reaproveitados”, afirma o presidente do Núcleo. “O ideal é que no futuro a sociedade possa aproveitar o máximo possível os resíduos sólidos urbanos, de maneira que o que vá para o aterro seja realmente lixo. Ainda há muita coisa com valor agregado nesses resíduos que pode ser aproveitado economicamente antes de ser descartado”.
Certos tipos de materiais utilizados nos projetos e obras podem trazer rendimento a sociedade, como os resíduos de construção e demolição. Logo, a vida útil dos aterros sanitários aumenta pelo menor volume de descarte e pode ser vista de modo positivo sob o ponto de vista ambiental, social e econômico.

Honra ao mérito

Ao fim da palestra, o Núcleo Nordeste da ABMS homenageou Jucá por contribuir na formação de centenas de engenheiros ao longo das quatro décadas em que atua como professor. A sua intensa produção e divulgação do conhecimento nacional e internacional também foi destacada. A placa de homenagem ao professor foi entregue pelo presidente da ABMS, o engenheiro Alexandre Gusmão.

 

Entrevista com o palestrante

A carência de profissionais foi um tema abordado por Fernando Jucá em entrevista à ABMS. A entrevista aconteceu, inclusive, no dia da Palestra em São Paulo. Assista abaixo:

Paradas Palestra Milton Vargas

Confira como foram as últimas paradas da Palestra Milton Vargas pelo Brasil.

Minas Gerais
Rio de Janeiro
São Paulo
Rio Grande do Sul
Tocantins
Mato Grosso
Espírito Santo
Paraná e Santa Catarina
Bahia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *