Painel do Associado

20º Seminário de Tecnologia e Estruturas do SindusCon-SP reúne 200 pessoas em São Paulo

segunda-feira, 01 de julho de 2019 comentários

Cerca de 200 pessoas participaram do 20º Seminário de Tecnologia e Estruturas, organizado em São Paulo no dia 26/6 pelo Sinduscon-SP. O evento foi voltado para profissionais de projeto e obra e trouxe novidades do setor. Nesta 20ª edição, o Seminário discutiu a evolução da engenharia de estruturas e de fundações nos últimos 20 anos. O engenheiro Frederico Falconi, responsável pela recente revisão da norma de fundações (NBR 6122), foi convidado para integrar o painel que discutiu o assunto. Ele destacou que investir mais nessa fase de obra traz qualidade e economia para o empreendimento.

A produtividade também foi um assunto abordado ao longo do 20º Seminário de Tecnologia e Estruturas. “A produtividade nas diversas áreas da engenharia teve grande crescimento nos últimos 20 anos”, destaca Sussumu Niyama. “Lembrou-se que em 1960 empregava-se 72 homens/hora por m3 de concreto e hoje chegamos a 9 h/h por m3”.

Inovações da engenharia

O concreto de ultra alto desempenho (UHPC – Ultra High Performance Concrete) foi uma das inovações apresentada durante o Seminário. “Este tipo de concreto, já utilizado no exterior, traz inovações estruturais fantásticas, pois permite a obtenção de placas delgadas de concreto, de cerca de 5 cm, proporcionando formatos muito inovadores”, explica Sussumu Niyama, ex-presidente da ABMS que esteve presente ao evento. “No Brasil, estamos começando a usar esta tecnologia agora, ainda em pequena escala”.

Outra novidade foi a utilização de madeira para a construção de edifícios, apresentada por Nick Clark, do Reino Unido. A técnica utiliza o material denominado Cross-Laminated Timber (CLT), já bastante comum nos Estados Unidos, Canadá e Europa, mas ainda incipiente no Brasil. “Por aqui, construímos apenas casas empregando madeiras, mas lá fora, o CLT já está sendo utilizado para a construção de edifícios de até 20 andares”, lembra Niyama. “Esta técnica deve ter um futuro muito interessante no Brasil, pois temos o ambiente ideal para tanto”.

Para fechar as discussões com chave de ouro, os participantes conheceram os desafios e as tecnologias utilizadas nas contenções, fundações e na estrutura das edificações da Cidade Matarazzo, um complexo com grande número de técnicas e tecnologias inovadoras que deve ser inaugurado em São Paulo em 2020.

“O 20º Seminário de Tecnologia e Estruturas deixou claro que, no futuro imediato, a interação entre todas as especialidades, tanto no projeto, como na execução de uma obra, através da utilização de ferramentas como a BIM (Modelagem da Informação da Construção) será, inexoravelmente, parte do cotidiano da engenharia”, lembra Niyama. “E para isso, os especialistas de estruturas e de fundações devem procurar uma efetiva interação buscando acompanhar o desenvolvimento no mesmo nível, o que é fundamental para uma boa engenharia”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *