Painel do Associado

5º Congresso Brasileiro de Túneis é o principal desafio da nova diretoria do CBT

quarta-feira, 31 de março de 2021 comentários

A prioridade da nova Diretoria do Comitê Brasileiro de Túneis é organizar com sucesso o 5º Congresso Brasileiro de Túneis, programado para os dias 1, 2, 3 e 4 de dezembro de 2021. Além disso, os novos diretores pretendem manter a agenda de eventos online, a disseminação de conteúdo técnico de qualidade e a aproximação com o associado. O Prêmio Prof. Figueiredo Ferraz, que reconhece o melhor trabalho de conclusão de curso na área de túneis e obras subterrâneas, também continua na pauta do CBT.

Diretoria CBT para o biênio 2021-2022

À frente da nova Diretoria do Comitê Brasileiro de Túneis está o engenheiro Eloi Ângelo Palma Filho. O arquiteto Adriano Saldanha é o vice-presidente. Daniela Garroux, geóloga, é a tesoureira. O secretário geral é o engenheiro Pedro França. E Felippe Gobbi, engenheiro, é o secretário executivo.

Além da “Diretoria estatutária”, o CBT conta com a chamada “Diretoria expandida”, composta pelo último presidente, Jairo Pascoal Júnior, por quatro diretores ad hoc – os engenheiros Alaor Coelho, Cássio Moura, Enrique Vega Leon e Jean Pierre Ciriades – e o presidente e a vice-presidente do CBT Young Members – Alex Nowak La Flor e Juliene Santos, respectivamente.” O objetivo da Diretoria expandida é ter mais gente para dar ideias de contribuir com as atividades do CBT”, conta o presidente.

Planos para a gestão

O principal desafio da nova Diretoria do CBT é fazer do 5º Congresso Brasileiro de Túneis mais um evento de sucesso do Comitê. Para isso, a Comissão Organizadora e a Comissão Científica já estão trabalhando a todo vapor.

Os eventos online que começaram a ser organizados pelo CBT e pelo CBT YM por imposição da pandemia do novo coronavírus continuarão acontecendo em 2021. Serão dois webinários por mês. Estes eventos ficam gravados e disponíveis no canal do YouTube do Comitê e constituem uma importante fonte de informação para profissionais e estudantes da área de obras subterrâneas.

Em 2021 haverá ainda uma nova edição do Prêmio Prof. Figueiredo Ferraz. Os interessados têm até julho para inscrever seus trabalhos de conclusão de curso focados em túneis e obras subterrâneas.

A difusão do conhecimento continua sendo um dos pilares do CBT. Assim, o Comitê pretende lançar duas novas publicações técnicas durante a gestão 2021-2022. A publicação de conteúdo no site também continua constante. O site, inclusive, foi reformulado em 2020, está mais moderno e o conteúdo pode ser encontrado com mais facilidade. “Cada gestão que passa pelo CBT traz um aprimoramento, a gestão seguinte dá continuidade e traz novas ideias para disseminar conhecimento e agregar a comunidade tuneleira. Essa é a missão do CBT há 30 anos e será assim nos próximos anos também”, afirma Eloi Palma Filho.

Eloi Palma Filho – presidente do CBT

O presidente do Comitê Brasileiro de Túneis, é formado em Engenharia Civil e mestre em Engenharia de Minas. O interesse pela Geotecnia veio por meio da Mecânica das Rochas, com foco em barragens.

Os túneis apareceram depois, meio por acaso. A obra que Eloi havia escolhido para fazer a pesquisa atrasou para começar. Veio, então, a sugestão para que acompanhasse as obras de túneis do Complexo Energético Rio das Antas. Depois ele acompanhou a execução de um túnel rodoviário na Rota do Sol, próximo a Porto Alegre. “Fui entrando na área subterrânea, comecei a estudar e me identifiquei com a disciplina. Morei na obra durante quase um ano, no período do mestrado, então consegui acompanhar todo o processo executivo do túnel. Aquela foi a minha grande escola”.

Após concluir o mestrado, o presidente do CBT foi aprovado no concurso para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), onde atuou em diversas obras de túneis.

O vínculo com a ABMS

Enquanto cursava o mestrado, Eloi ouviu muito sobre a ABMS de seus colegas e professores. Entrou para a Associação e começou a participar de eventos. Em seguida passou a enviar trabalhos para os congressos. Uma vez na ABMS, conheceu o CBT e passou a frequentar os encontros do Comitê. Em 2014, Jairo Pascoal Júnior o convidou para integrar a Diretoria que estava se formando. “A ideia é que eu fosse o representante do CBT fora do eixo Rio-São Paulo”, lembra. Em 2015, Eloi assumiu a secretaria do Comitê. Em 2019, passou a ser tesoureiro. Agora, em 2021, está à frente do CBT junto com os demais diretores.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *