Painel do Associado

“A Palestra Milton Vargas tem o poder de unir a comunidade geotécnica”, diz Jucá ao final da 15ª edição do evento

quarta-feira, 24 de julho de 2019 comentários

Mais uma edição da Palestra Milton Vargas se encerrou no mês de julho. Desta vez, o palestrante foi o professor José Fernando Thomé Jucá. A 15º edição da Palestra Milton Vargas, que acontece anualmente, trouxe um tema muito importante para o país: “Geotecnia ambiental aplicada a depósitos de resíduos sólidos: investigação ambiental, projetos e controle tecnológico de obras”.

O professor Jucá percorreu 11 estados brasileiros e foi recebido de braços abertos por todos. Muito feliz e satisfeito com o seu papel como palestrante da Milton Vargas, Jucá lembra da relevância da Palestra. “Essa é uma das maiores iniciativas da ABMS. Ela já existe há bastante tempo e é muito bom saber que existem áreas que a ABMS define como estratégicas para a divulgação e difusão do conhecimento e que conseguem chegar mais perto da sociedade. É uma iniciativa brilhante, completamente inovadora, atual e pertinente”.

Além de rever amigos de longa data e ex-alunos, Jucá valoriza o alcance das palestras, que conseguem passar sua mensagem e atrair novos olhares e adeptos ao tema. “Elas revitalizam a ABMS e ajudam a rejuvenescer as pessoas e as ideias em torno da geotecnia”. Um movimento importante, depois da constatação do Professor de que a geotecnia aplicada aos aterros sanitários ainda era novidade para muitos.

Ao final de cada palestra, Jucá abriu espaço para perguntas e discussões que, segundo ele, foi muito bem aproveitado pela plateia e serviu para que ele fizesse alterações e melhorias nas apresentações seguintes. Cada encontro contou com informações de acordo com o interesse do público e algumas características e exemplos sobre cada estado.

E não acabou por aí. Jucá conta que nos dias seguintes às palestras recebeu muitas mensagens de participantes que davam um retorno positivo ao Professor. “São pessoas que passaram a ter interesse nas coisas que a gente falava e tinha a oferecer. Fiquei muito feliz!”.

Os locais escolhidos para receber as palestras foram bem diversificados, o que refletiu na identidade do público que, segundo Jucá, às vezes era composto mais por profissionais, outras por acadêmicos ou estudantes. No Clube de Engenharia, no Rio de Janeiro, por exemplo, notou-se um maior número de profissionais da área. Já quando a palestra era em universidades, recebia um público predominantemente de acadêmicos e estudantes de graduação e pós-graduação.

Um dos pontos destacados por Jucá é o carinho com que foi recebido pelo público e por cada Núcleo Regional da ABMS, que o presenteava com certificações ou lembranças típicas da região. Jucá também lembra com carinho e bom humor dos vários registros que foram feitos. “Foram muitas fotos, às vezes me sentia um superstar”. Ele destaca ainda a atitude do Núcleo de Cuiabá de arrecadar alimentos para doação. “Esse tipo de iniciativa mexe com o emocional da gente. Gostei demais!”.

Ao final do percurso como palestrante da Milton Vargas, Jucá diz que só tem a agradecer a todos que contribuíram para a realização e estiveram envolvidos com as palestras. “Foi um dos melhores momentos da minha vida profissional. A Palestra Milton Vargas tem o poder de unir a comunidade geotécnica, formar uma rede de pessoas em torno de ideias. Estou muito feliz, satisfeito e orgulhoso de ter sido um dos palestrantes da Milton Vargas. Só tenho a agradecer à ABMS”.

 

Entrevista com o palestrante

Assista à entrevista de Jucá sobre o tema da Palestra Milton Vargas 2019:

Confira como foi a Palestra Milton Vargas pelo Brasil

Pernambuco
Minas Gerais
Rio de Janeiro
São Paulo
Rio Grande do Sul
Tocantins
Mato Grosso
Espírito Santo
Paraná e Santa Catarina
Bahia


Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *