Painel do Associado

ABMS amplia participação na criação e revisão de normas técnicas

quinta-feira, 02 de julho de 2015 comentários

normasinternaA ABMS sempre participou, por meio de seus associados, da revisão de normas técnicas do interesse da comunidade geotécnica na ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Agora, no entanto, este trabalho está sendo intensificado. “Entendemos que uma das grandes missões da ABMS, como associação técnica, é colaborar com outras entidades para a elaboração de normas e diretrizes para o bom desempenho da engenharia”, afirma André Assis, presidente da ABMS. Por isso, Luciano Jacques de Moraes Jr., vice-presidente da ABMS, e Frederico Falconi, membro bastante ativo da entidade, estão à frente do trabalho que a ABMS está intensificando com a ABNT para a elaboração e revisão de normas técnicas de assuntos ligados à Geotecnia. Leia o editorial assinado por Luciano Jacques de Moraes Jr. e Frederico Falconi.

“O trabalho da ABMS na Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não é recente. Há muito tempo participamos da elaboração e da revisão de normas técnicas. Neste momento, por exemplo, está sendo revisada a NBR 5629, que trata da Execução de Tirantes Ancorados no Terreno, e a NBR 8044 – Projeto Geotécnico, que deve ir em breve para consulta pública. Ambas com a participação de profissionais associados à ABMS.

O que temos de novo agora é um maior envolvimento da nossa entidade na ABNT. Com a reformulação interna pela qual passou a ABNT, o Comitê Básico 2 (CB2), que abrangia todas as normas de solos, passou a cuidar exclusivamente de normas para projeto e fiscalização. Desta forma, todas as normas de execução de serviços geotécnicos não integram mais o CB2.

A ABNT criou, então, as Comissões de Estudo Especial, que devem sempre ser lideradas por associações técnicas. Aqui vale destacar algumas que já estão em funcionamento, como a CEE 175 – Geossintéticos, liderada pela IGS Brasil e a CEE 222 – Terra Armada, liderada pela ABMS. E está em processo de criação a CEE 221 – Solos, que também será liderada pela ABMS.

Para a Comissão de Estudo Especial de Solos, a ABMS está em fase de escolha do coordenador e do secretário, responsáveis pela CEE. Os associados interessados podem enviar e-mail para a Secretaria da ABMS (abms@abms.com.br). Para ser coordenador ou secretário, é desejável que more em São Paulo. Para ser participante da CEE, as únicas exigências são o interesse e a dedicação.

Agilidade na revisão de normas

No passado, quando tudo era de responsabilidade do CB2, os processos de revisão de norma eram bastante lentos, chegando a levar até três anos. Hoje a ABNT quer agilizar este processo. A entidade pede que as revisões sejam feitas em até seis meses e que sejam baseadas em alguma norma ISO (International Organization for Standardization).

Isso mostra uma preocupação não apenas em atualizar as normas existentes, mas também acompanhar uma tendência mundial que são as normas ISO.

A importância das normas

As normas da ABNT servem para regular serviços e produtos. Elas estabelecem requisitos mínimos a serem atendidos. As normas técnicas refletem o estado atual do conhecimento e da experiência em geral.

O impacto dessas normas na engenharia é muito relevante, pois são apontadas as melhores técnicas, os melhores materiais, os melhores ensaios e os melhores métodos, tanto na construção quanto da fiscalização. E são estabelecidos requisitos mínimos para que a qualidade e a segurança sejam respeitadas.

Hoje as normas técnicas têm força de lei. Isso graças à aprovação da Lei do Consumidor, que possui um artigo que estabelece que os serviços e produtos são obrigados a seguir os regulamentos do governo e, quando não houver, os manuais e normas técnicas da ABNT.

O papel da ABMS

Um dos papéis fundamentais da ABMS, como entidade técnica, é contribuir para estabelecer normas e diretrizes para os serviços e produtos de engenharia geotécnica.

A ABMS precisa não apenas servir o seu associado, mas também prestar serviços para a sociedade. E a revisão de normas faz parte desta prestação de serviços.

Além disso, as normas trazem mais qualidade para a engenharia e, consequentemente, mais qualidade e mais segurança nos serviços prestados à sociedade.

Contamos com todos os associados para cumprir este relevante papel da ABMS.

Até breve.

Frederico Falconi
Associado ABMS

Luciano Jacques de Moraes Jr.
Vice-presidente da ABMS


Comentários


ABMS amplia participação na criação e revisão de normas técnicas

  1. Moacyr Schwab de Souza Menezes disse:

    Excelente notícia. ofereço-me para colaborar, quando solicitado e desde que ao alcance de meu conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *