Brasileiros participam do 2º Simpósio sobre Método CPT de sondagem, na Califórnia

terça-feira, 25 de maio de 2010 comentários

Mais de uma dezena debrasileiros, entre eles vários membros  da Comissão Técnica de Investigações de Campo (CTIC) da ABMS participaram em Huntington Beach, Califórnia (EUA), do 2º Simpósio sobre o Cone Penetration Testing – CPT10, que aconteceu de 10 a 11 de maio. Roberto Coutinho (foto), presidente da CTIC, e Fernando Schnaid, ex-presidente da Comissão e secretário geral da ABMS, levaram ao Seminário um relatório sobre pesquisas (Regional Report) de investigações em CPT realizadas na América do Sul. O Prof. Fernando Schnaid também foi responsável pelo Session ReporterSummary sobre Aplicações do CPT. Outros trabalhos, além do relatório brasileiro, foram apresentados, permitindo aos presentes acesso a um panorama do emprego do CPT  em vários continentes.

“Um evento deste porte, com a reunião de representantes de muitos países do mundo, é muito importante para divulgar o emprego do CPT na engenharia geotécnica”, afirma Paulo Albuquerque (foto), Secretário da CTIC e professor da Unicamp.

A participação brasileira, por meio da apresentação do relatório de Coutinho e Schnaid, levou ao conhecimento de participantes de todo o mundo as inovações e trabalhos de pesquisas relacionados ao emprego do CPT na América do Sul. Para ter acesso ao relatório dos professores, clique aqui

O método CPT é, segundo Albuquerque, ainda pouco empregado no dia-a-dia da geotecnia brasileira. Desenvolvido na Holanda na década 40 este ensaio era realizado apenas em projetos especiais e em atividades de pesquisa na área geotécnica. O CPT está em aplicação no Brasil desde a década de 80, mas ainda perde espaço para o SPT – sondagem a percussão devido a facilidade de execução deste ensaio, o grande número de correlações para os diversos tipos de solos, e a experiência acumulada no seu emprego. “O CPT é um ensaio que tem se difundido de forma irreversível no mercado dos ensaios in-situ, apesar da relutância de muitos projetistas, acostumados com as correlações dos parâmetros do solo com SPT. O ensaio de cone tem tecnologia avançada, possibilita informações do subsolo com melhor qualidade, além de ter uma produtividade maior em termos comerciais. O CPT aos poucos está ocupando seu espaço no mercado, por ser um ensaios mais confiável, prático e rápido.”, destaca Albuquerque.

Pelo menos mais de uma dezena de tipos de investigação geotéctnica incorporam o grupo de possibilidades em um progama de ensaios de campo. Para abordá-los e discuti-los, o Brasil receberá em 2012 a quarta edição do Congresso Internacional de Ensaios de Campo – ISC’4. Para mais informações sobre o evento, acesse www.isc-4.com.
Depois de passar por Taiwan, em 2008, o evento que acontece a cada quatro anos chega ao Brasil com a coordenação do professor da UFPE, Roberto Coutinho, presidente da Comissão Técnica de Investigações de Campo da ABMS. “É o principal evento da área e recebê-lo no Brasil demonstra a importância que o país vem ganhando na comunidade internacional”, destaca Albuquerque que, como secretário da Comissão, tem participado do processo de organização do Congresso.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *