CBDB: Nova diretoria e novos desafios para o triênio

sexta-feira, 30 de junho de 2017 comentários

diretoriacbdbinternaO Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB), que é representante da Comissão Internacional de Grandes Barragens (ICOLD) no Brasil, elegeu a sua nova diretoria para o triênio 2017 – 2020. A nova diretoria será liderada por Carlos Henrique Medeiros, associado e vice-coordenador da Comissão Técnica de Barragens da ABMS. Ao seu lado também está o ex-presidente do Instituto Brasileiro do Concreto (Ibracon), José Marques Filho, como vice-presidente da entidade. “Nosso desafio será estreitar as relações do CBDB com a comunidade técnica e a sociedade”, afirmam. (Na foto, da esq. à dir., os engenheiros: Celso José Pires Filho, Ricardo Aguiar Guimarães, Carlos Henrique Medeiros, José Marques Filho e Dimilson Pinto Coelho)

As eleições aconteceram em maio. Além de Medeiros e Marques Filho, a diretoria eleita conta agora com Celso José Pires Filho, como diretor secretário; Dimilson Pinto Coelho, como diretor técnico; Ricardo Aguiar Magalhães, como diretor de comunicações e Geraldo Magela, como diretor adjunto.

O CBDB conta também com um Conselho Deliberativo constituído por 23 conselheiros, sendo cinco honorários e 18 recém-eleitos – dentre eles o engenheiro Alberto Sayão, ex-presidente da ABMS.

Desafios

conselheiros-cbdbUm dos objetivos do CBDB será focar na maior aproximação com o setor de recursos hídricos. “Entendo que a complexidade de uma barragem não se define, apenas, pelo seu porte” uma vez que temos, “pequenas barragens e grandes problemas”, declara Medeiros. “Por isso, apesar de termos origem no setor hidrelétrico, que é muito importante para nós, temos que observar também o setor voltado a recursos hídricos, de abastecimento de água. Acredito que precisamos despertar o interesse desse público para podermos compartilhar experiências, trocar informações. Isso engrandece muito o CBDB em sua proposta de levar a público discussão sobre temas relevantes”. (Na foto, os conselheiros do CBDB)

Outra meta da diretoria é manter a atenção aos acidentes envolvendo barragens. “Estar mais presente também nesses momentos, que atingem tão diretamente a população e os nossos associados, é fundamental”, defende. “Temos que manter uma posição junto à comunidade técnica e levar as informações da forma mais transparente possível para que as causas sejam realmente discutidas com profundidade e que, com isso, ganhemos em aprendizado”.

“Também devemos preparar cada vez mais o CBDB para solucionar os questionamentos ambientais e seus desafios, adotando uma postura mais consolidada”, adianta o engenheiro. “Esse tema é polêmico e vamos discuti-lo até a exaustão. O CBDB não vai deixar de estar presente nessas discussões. Nossa diretoria tem que permanecer aberta a esse tema”.

Integração

Para o presidente eleito do CBDB, a integração junto às demais associações e às entidades parceiras na área de barragens é um dos desafios do Comitê. “A intenção é promover maior aproximação entre ABMS, ABGE – Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental – e CBDB, entre outras”.

“O segmento de barragens tem muitas interfaces, é uma área multidisciplinar que envolve muitos outros setores”, esclarece Medeiros. “Por isso a abordagem que as entidades técnicas dão se complementam. A gama de profissionais e especialistas envolvidos na engenharia de barragem é grande. Uma experiência completa a outra”.

Para José Marques Filho, que foi presidente do Ibracon de 2010 a 2012, a integração entre as entidades também fortalece a comunidade técnica. “CBDB, ABMS, ABGE, Ibracon, todas têm pontos e interesses em comum”, diz. “Por isso devemos sempre trabalhar em conjunto, organizando comissões, comitês e grupos de trabalho para alavancar o potencial de cada uma dessas entidades”.


Comentários


One thought on “CBDB: Nova diretoria e novos desafios para o triênio

  1. RICARDO WAGNER REIS DUARTE disse:

    Prezados Senhores do CBDB,

    boa tarde!

    Coloco-me à disposição do CBDB para apresentação de sistema de avaliação vetorial de desempenho de barragens de mineração. O sistema calcula a PMD (Probabilidade de Mau Desempenho), considerando todas as barragens de mineração cadastradas no Brasil. Apresentação com exemplo completo e duração de 1h15 min. Caso seja de interesse, podem contatar-me para apresentar a Vossas Senhorias o meu sistema proposto. Parabéns a todos os eleitos e muitas realizações.

    Atenciosamente,

    ENG CIVIL MSc RICARDO WAGNER REIS DUARTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *