Painel do Associado

Edgard Poiate Jr recebe prêmio de melhor tese de doutorado

quarta-feira, 26 de novembro de 2014 comentários

O engenheiro paulista Edgard Poiate Jr, trabalhando no Rio de Janeiro no Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (CENPES) da Petrobras desde 2001, foi um dos associados premiados durante o Cobramseg 2014. Ele recebeu o Prêmio Costa Nunes, concedido pela ABMS ao autor da melhor tese de doutorado em geotecnia realizada em instituição acadêmica brasileira durante o biênio 2013-2014. A tese premiada foi “Mecânica das rochas e mecânica computacional para projeto de poços de petróleo em zona de sal”, que teve a orientação da Profª Deane de Mesquita Roehl, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e do Dr. Álvaro Maia da Costa (Petrobras).

De acordo com Poiate, o incentivo para participar da seleção do Prêmio Costa Nunes partiu da banca avaliadora de sua pesquisa. “Os professores que fizeram parte da minha banca recomendaram-me inscrever a tese para a seleção do Prêmio. Eles consideravam o nível da pesquisa adequado para participar da seleção”, diz Poiate. “Conversando com a minha orientadora e seguindo a recomendação dos professores, resolvi inscrever a tese. Afinal, é um Prêmio de reconhecimento nacional”, comenta o engenheiro.

Poiate conta que durante o Cobramseg 2014 seria apresentada outra pesquisa na área de estocagem em cavernas de sal, de que é co-autor, juntamente com profissionais da Petrobras. “A notícia que a minha tese tinha ganhado o Prêmio Costa Nunes foi um motivo a mais para eu participar do Congresso, o que foi uma ótima decisão, ainda mais com a inovadora e excelente decisão da diretoria da ABMS em possibilitar apresentar o estudo da minha tese na abertura do Geojovem, junto às premiações de dissertação de mestrado e monografia de TCC”, comenta.

 

Agradecimentos

Durante os agradecimentos pelo recebimento do Prêmio Costa Nunes, Poiate frisou que o reconhecimento não deveria vir apenas em seu nome. “Este trabalho é fruto de 12 anos de pesquisas na área de rochas evaporíticas, com a participação de dezenas de técnicos e pesquisadores de diversas instituições de pesquisa e empresas”, afirma o engenheiro. “A tese foi um compilado de muito trabalho, feito por muita gente”.

“As pessoas podem achar que ganhei sozinho o Prêmio porque ele foi dado em meu nome. Não é verdade. Seria impossível eu realizar uma pesquisa dessa dimensão em tão pouco tempo. Neste trabalho há contribuições importantes de pessoas que me passaram seus conhecimentos, interagiram comigo, para que eu pudesse consolidar a pesquisa. O reconhecimento deve ser dado a todas essas pessoas”, diz Poiate.

 

Sobre a tese

A tese “Mecânica das rochas e mecânica computacional para projeto de poços de petróleo em zona de sal” envolveu ensaios de campo, de laboratório e simulações numéricas de diferentes tipos de rochas evaporíticas, testemunhadas em em poços de petróleo, na qual a Petrobras foi responsável por todos os custos da pesquisa.

Enviadas ao laboratório de mecânica e hidráulica de rochas do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT-SP), as amostras de rochas foram submetidas a diferentes ensaios laboratoriais de mecânica de rochas, sob diferentes condições de estado de tensões e temperaturas, para identificar parâmetros de deformabilidade, resistência e etc. Os dados obtidos foram depois aplicados em diversos modelos de simulação de estabilidade e integridade estrutural de poços de petróleo em zonas de sal, através de metodologias desenvolvidas para avaliar a influência de diversos parâmetros. Este desenvolvimento é essencial para o estabelecimento de estratégias viáveis física e economicamente para a concepção, execução, operação e manutenção da exploração de poços de petróleo do pré-sal brasileiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *