Painel do Associado

GeoSul 2010 reuniu 350 e contou com visita à Itaipu

terça-feira, 11 de maio de 2010 comentários

Os organizadores da 7ª edição do Simpósio de Práticas da Engenharia Geotécnica da Região Sul receberam 350 participantes entre os dias 21 e 23 de abril, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Um dos mais importantes eventos geotécnicos da região teve como foco das apresentações temas como fundações, rodovias, ferrovias,portos, contenção de encostas e investigações geotécnicas. O assunto barragens foi um dos grandes destaques do evento, que logo na primeira noite contou com um show de luzes nas barragens da Itaipu Binacional. Visitas técnicas temáticas à Usina também fizeram partre do encontro.

Entre os dias 21 e 23 de abril, o Núcleo Paraná/Santa Catarina levou para o GeoSul 2010 temas já tradicionais do evento que chega neste ano à sétima edição. Inovações e obras recentes de túneis, rodovias, ferrovias e portos foram discutidos por grandes especialistas, assim como aplicações práticas e novas tecnologias de investigações geotécnicas. Estabilidade de encostas, com discussões sobre contenção e monitoramento, geotecnia ambiental e novos materiais, bem como os desafios atuais e projetos de fundações de importantes obras foram temas colocados em pauta no segundo dia de evento (22/4).

Barragens foram o grande destaque deste encontro que no primeiro dia touxe novos desafios geotécnicos a segurança de barragens. O Prof. Nelson Pinto, especialista de renome internacional, foi o foco da atenção de profisisonais, professores e estudantes de engenharia que lotaram o auditório do Hotel Internacional, em Foz do Iguaçu. “A palestra de Nelson Pinto sobre a geração hidrelétrica brasileira foi algo que chamou a atenção de todo o público e motivou inclusive jovens estudantes que pouco conhecem da geotecnia”, destaca Andrea Dyminski (foto).

Na segunda sessão, a maior obra de UHE do Sul do Brasil, a barragem de Mauá, foi discutida por projetistas e proprietários. Além disso, aspectos relevantes do comportamento da UHE de Itaipu foram apresentados, bem como o projeto de novo vertedouro da barragem Sayano-Shushenskaya (Sibéria), que sofreu recentemente um terrível acidente.

Um show de luzes em Itaipu caracterizarou a abertura do evento na noite do dia 21 de abril. “Foi algo realmente muito bonito”, afirma Edgar Odebrecht (foto), do Núcleo Paraná/ Santa Catarina. “As grandes barragens de Itaipu sendo iluminadas ao ritmo de uma música foi um cena inesquecível”.

Ao final do encontro, as famosas barragens voltaram à cena. Desta vez deixando a apresentação de luzes para se tornar foco de estudo nas visitas técnicas do GeoSul 2010. “A possibilidade de concluir um evento, que teve como um dos destaques o tema barragens, com visitas técnicas às maiores barragens brasileiras foi muito bom”, destaca Andrea.

O participante que esteve na visita a Itaipu pôde de escolher dentre as três opções disponíveis na Usina que é uma das maiores obras de engenharia do Brasil. Barragens, reforço de fundações e análise sismológica eram os três temas que a organização pretende oferecer no menu da visita técnica.

Com um complexo de sete barragens (duas de terra, uma de enrocamento e 4 tipos de estruturas de concreto), a Usina Hidrelétrica de Itaipu é a maior geradora de energia do mundo. Uma barragem de concreto constitui a maior das três (aprox. 200 m de altura) e é o espaço no qual as turbinas, que chegaram a gerar, em 2008, 95 milhões de megawatts-hora, estão instaladas. Em conjunto com a barragem de terra e enrocamento e a barragem da margem direita (contato com o Paraguai), a barragem principal completa os 8 km de extensão e configura o cenário da primeira opção de visita técnica do GeoSul 2010.

Outra alternativa para os participantes, que se deslocaram até Itaipu, foi a visita às fundações profundas da Usina que movimentou 32 milhões de m³ de rocha e 23 milhões de m³ de terra. A terceira opção de visita trouxe a estação sismológica de Itaipu. “Durante o evento tivemos uma palestra sobre análise sismológica que foi coroada com a visita”, revela Andrea.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *