Painel do Associado

Melhores projetos profissionais recebem prêmios da ABMS no Cobramseg 2018

sexta-feira, 31 de agosto de 2018 comentários

Durante o segundo dia do Congresso Brasileiro de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (Cobramseg 2018) aconteceu a premiação da ABMS aos projetos profissionais que se destacaram no biênio 2016 e 2017.

Prêmio José Machado
Concorrendo ao Prêmio José Machado, que distingue o melhor projeto geotécnico, os vencedores foram os engenheiros Arsenio Negro Junior e André Pacheco de Assis (ex-presidentes da ABMS), Felipe Figueiredo Rocha, Marilene Cristina Lopes, Makoto Namba e Marlísio Oliveira Cecílio Jr. O júri composto pelos engenheiros Akira Koshima, Manuel de Almeida Martins e Sussumu Niyama (também ex-presidente da ABMS) elegeu o tema “O Estudo de Caso da Barragem de Itabiruçu – Gestão de Risco Geotécnico de Barragens de Rejeito” como merecedor da premiação.

Foi concedida também Menção Honrosa a Geraldo Guedes de Andrade, Lucas Pereira Cammarota e Luiz Guilherme de Mello, pelo projeto “Aterro Experimental para o Projeto do Novo Aeroporto Internacional da Cidade do México – Tratamento das Argilas Moles da Cidade do México com Uso de Sobrecarga Temporária à Vácuo, Associada à Drenos Verticais tipo StarDrain”.

Prêmio Terzaghi
Instituído pela ABMS em homenagem ao grande mestre Karl von Terzaghi, o prêmio celebra o autor do melhor trabalho ou do melhor conjunto de trabalhos publicados no Brasil. O vencedor da categoria desta edição foi o engenheiro José Fernando Thomé Jucá.

Jucá é engenheiro civil formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mestre em Geotecnia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), doutor pela Universidad Politécnica de Madrid e pós-doutor pela Universidade de São Paulo. Sua carreira conta com passagens importantes por diversas instituições e mais de 200 trabalhos publicados em revistas e congressos. Atualmente, é professor titular da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pesquisador do CNPq 1B.

Foi presidente do Instituto Tecnológico do Estado de Pernambuco (ITEP) e diretor do Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (CETENE).

Jucá pertence, ainda, ao Comitê Editorial do Journal of Geological Resource and Engineering (USA), da Revista Portuguesa Geotecnia e da Revista Resíduos da Espanha, além da Soils and Rocks (Brasil), da revista Resíduos (Espanha), Engenharia Sanitária e Ambiental (Brasil), Revista DAE/SABESP (Brasil) e Waste Management & Research (Austrália).

Essa não é a primeira vez que José Fernando Jucá é reconhecido por sua contribuição científica e técnica para o desenvolvimento da ciência no Brasil. Em 2009, recebeu o título de Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico da Academia Brasileira de Ciências e, em 2015, foi o ganhador do Prêmio Fundação Bunge Saneamento Básico (Resíduos Sólidos Urbanos), na categoria Vida e Obra.

 

Imagem: vchal/iStock.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *