Painel do Associado

Nordeste reúne mais de 400 profissionais e estudantes

segunda-feira, 21 de novembro de 2011 comentários

O 2º Simpósio de Geotecnia do Nordeste aconteceu em Natal, nos dias 3 e 4 de novembro de 2011 e superou todas as expectativas de público. “Esperávamos cerca de 300 participantes e tivemos um total de 408”, lembra Olavo Santos, presidente da Comissão Organizadora do II GeoNE. Para Arsenio Negro, presidente da ABMS presente ao evento, o sucesso se deve ao bom momento da engenharia regional e nacional. “Presenciei uma atividade de engenharia intensa na região”, conta Arsenio. Santos acredita que a qualidade dos profissionais convidados para ministrar as palestras também contou ponto favorável para o sucesso do GeoNE. As palestras contemplaram empresas de projeto, executoras e a academia e foram todas focadas na prática da engenharia. “Tivemos uma boa amostra do que é feito em termos de engenharia geotécnica no Brasil e na região Nordeste”, destaca o presidente da Comissão  Organizadora do II GeoNE. Na foto, os palestrantes Willy Lacerda, Roberto Coutinho, Maurício Erlich e Nelson Aoki.

No primeiro dia de evento, o destaque foi a Conferência Jaime Gusmão Filho, proferida por Willy Lacerda, ex-presidente da ABMS, que falou sobre “Proteção de Encostas”. Em seguida, Nelson Aoki, sócio da ABMS, Maurício Ehrlich, ex-presidente do Núcleo Rio de Janeiro da ABMS e Roberto Coutinho, ex-presidente do Núcleo Nordeste da entidade, fizeram apresentações sobre avaliação do risco de fundações, muros de solos reforçados e aterros sobre solos moles. No mesmo dia, houve uma homenagem póstuma ao engenheiro Geraldo Pinho, um dos fundadores da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

No dia seguinte, o evento contou com quatro sessões técnicas com palestras e debates com intensa participação do público. Os temas abordados foram fundações, estruturas de arrimo e obras de proteção costeira, obras de terra e geossintéticos e geotecnia ambiental. Ao todo foram 25 palestrantes.

“O nível das apresentações foi excelente”, afirma o presidente da Comissão Organizadora. “Muito enriquecedor para os alunos e profissionais, tanto pela atualização de conhecimento como pelo ambiente de congraçamento entre todos os presentes”.

O GeoNE proporcionou o contato entre projetistas, executores de obras e docentes/pesquisadores. “Isso torna possível o estabelecimento de parcerias e negócios, o que contribui de forma significativa para o progresso da região”, ressalta Olavo Santos. “Proporciona aos diversos segmentos envolvidos a possibilidade de mostrar as suas potencialidades e capacidade de produção”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *