images

Fernando Schnaid e Frederico Falconi participam de bate-papo com jovens sobre os desafios e o futuro da geotecnia

02/07/2021

Carreira, geotecnia e futuro marcaram o encontro entre Fernando Schnaid, presidente da ABMS, Frederico Falconi, vice-presidente, profissionais da área e estudantes de engenharia. Promovido pelo Núcleo Jovem da ABMS, o bate-papo virtual abordou carreira e geotecnia e foi realizado na noite de quinta-feira, dia 1/7. O evento contou ainda com a participação de quatro jovens geotécnicos: a diretora do Núcleo Jovem e mediadora do evento, Marianna Dias, o representante do Núcleo Jovem do Nordeste, Pedro Oliveira, o representante Centro-Oeste, Moisés Lemos e Magnos Baroni, representando os jovens do Sul do Brasil.

Fernando Schnaid trouxe suas experiências da época de faculdade e as dúvidas que o rodearam durante o curso. O presidente ressaltou que sua paixão pela geotecnia foi despertada apenas durante o mestrado. Frederido Falconi também contou sobre a escolha pela geotecnia e como a área lhe cativou enquanto realizava seu estágio em uma usina de concreto. Ambos aprenderam a gostar da geotecnia durante o período da faculdade.

Pedro Oliveira movimentou o bate-papo com questionamentos sobre o futuro da geotecnia. Para Schnaid, um bom engenheiro geotécnico deve possuir um pensamento crítico e aprender a liderar e trabalhar em equipe, ter capacidade de comunicação e ser aberto às inovações. “Só assim, o engenheiro do futuro poderá mergulhar nesse novo universo a fundo”, afirmou o presidente da ABMS. Marianna Dias completou alertando sobre o cuidado com o uso de ferramentas e programas. Ela abordou a importância de usá-las a seu favor e reforçou que é preciso estudar para saber utilizá-las da maneira correta.

Moisés Lemos, por sua vez, questionou sobre as possíveis áreas da geotecnia que farão sucesso no futuro. Schnaid assegurou que a área tem o futuro garantido e promissor tanto no Brasil quanto no mundo. Ele destacou que as demandas pela profissão serão inesgotáveis, principalmente nas áreas de sustentabilidade, infraestrutura e mudanças climáticas.

Magnos Baroni trouxe perguntas do público externo para a conversa. As dúvidas mais frequentes foram sobre os cursos de especialização para a área da geotecnia e sobre a relação de aproximação entre indústrias e estudantes universitários. Falconi ressaltou a importância de as associações irem até as universidades falar sobre as possibilidades de atuação de um engenheiro geotécnico.

A conversa seguiu com um bate-papo descontraído, em que os profissionais compartilharam outras experiências que tiveram ao longo de suas carreiras, além de responder mais questionamentos dos internautas. Também foi comentado sobre as mudanças que a engenheira geotécnica sofreu ao longo de todas as gerações até chegar na atual.

O evento contou com mais de 150 espectadores simultâneos e mais de 250 mensagens no chat durante a transmissão. Ao final da conversa, Marianna Dias agradeceu aos participantes e a todos que acompanharam o encontro.

Assista ao bate-papo completo aqui:

 

 

 

Temas relacionados: