Núcleo Minas quer aproximar-se de seus associados e fortalecer a posição institucional da ABMS no Estado

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017 comentários

diretoriamg2017-interna“Inovação” é a palavra para este biênio – ao menos para o Núcleo Minas Gerais. Levando a sério a necessidade de atrair novos associados, fidelizar os conquistados durante o Cobramseg 2016 e conquistar o reconhecimento à figura do engenheiro geotécnico junto à sociedade e aos órgãos representativos da área, a diretoria do Núcleo já vem preparando iniciativas e novos eventos pela região. “Queremos não somente atrair novos associados e manter os atuais, mas mostrar a eles os benefícios de ser um associado à ABMS”, contam o presidente e o vice-presidente do Núcleo, os engenheiros Gustavo Vianna e Fernando Saliba. “Nossa atuação para este biênio vai se concentrar nesse objetivo”.

“A segunda grande meta do Núcleo Minas é fortalecer a imagem da ABMS enquanto entidade técnico-científica e a de seus associados”, diz Vianna. “Nesse sentido, estamos retomando com o CREA-MG a possibilidade de chancelar a atual carteirinha de engenheiro geotécnico emitida pela ABMS como documento que atesta a especialização do engenheiro nessa área. A longo prazo, queremos apoiar o CREA-MG na criação de uma certificação que será emitida por eles”.

Para Fernando Saliba, a conquista desse reconhecimento pode abrir portas. “Essa é uma luta antiga da ABMS, a do reconhecimento do engenheiro geotécnico. Portanto, a nossa parceria com o CREA-MG será um passo importante na viabilização disso, mesmo que em nível estadual. A partir daí, os demais CREAs podem tomar o que foi feito em Minas Gerais como referência”.

Outra aproximação importante do Núcleo é com a Defesa Civil. “Nossa parceria com a Defesa Civil de Belo Horizonte é antiga e já trouxe inúmeros benefícios à população do município”, conta Vianna. “A meta agora é buscar o mesmo relacionamento com a Defesa Civil do Estado. Assim, levaremos a atuação da ABMS a um nível ainda mais visível e palpável para a sociedade – além de atrair novos associados que tenham o mesmo espírito solidário para nos ajudar no tratamento de problemas relacionados a encostas, taludes e deslizamentos”.

Eventos

“Nossa programação de eventos em Minas Gerais sempre foi muito intensa, portanto queremos manter o mesmo ritmo”, conta Gustavo Vianna.

O primeiro evento do ano aconteceu no dia 13 de fevereiro, com a palestra “Conceitos de Fundações de Estruturas em Radier Estaqueado”, ministrada pelo professor Renato Cunha (UnB), no auditório do CREA-MG, em Belo Horizonte. “Foi um grande sucesso!”, declara o presidente do Núcleo, o engenheiro Gustavo Vianna.

“Recebemos 80 participantes dentre estudantes, profissionais e também os nossos colegas estruturalistas da ABECE – Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural, que muito participaram com perguntas e questionamentos”, conta o presidente. “Alguns de nossos amigos da Defesa Civil de Belo Horizonte também vieram prestigiar o evento”.

Os próximos já estão programados para acontecer logo, em março.

“No dia 6, colaboramos com a ABECE para realizarmos juntos um evento diferente”, adianta o presidente. “Vamos trazer uma economista do Sindicato para conversar sobre como o Sinduscon-MG está enxergando o panorama, em curto e médio prazo, da construção civil em Minas e em âmbito nacional – e, particularmente, trazer discussões sobre o que podemos fazer frente à crise que se abate na área”. O evento será realizado na Federação das Indústrias de Minas Gerais – FIEMG.

Já no dia 14 de março será realizada a terceira edição do Mulheres Geotécnicas. “A brilhante iniciativa, que teve início com a ex-presidente do Núcleo, Cássia Azevedo, visa reconhecer a atuação das mulheres na geotecnia – que, infelizmente, ainda são poucas”, conta Fernando Saliba. “Vamos trazer palestras ministradas por mulheres que são grandes profissionais e acadêmicas da área, que atuam dentro e fora da ABMS”.

Em novembro acontece a primeira edição do GeoMin. “O GeoMin será um congresso voltado à geotecnia de mineração e será realizado na cidade de Ouro Preto”, adianta o vice-presidente. “No entanto, estamos propondo um formato de evento que seja diferente dos tradicionais congressos feitos até agora. Queremos enfatizar a discussão, o debate, e menos a simples exposição de conteúdo”.

De acordo com Saliba, as novidades começam na organização do evento. “A organização envolve a participação de três grandes mineradoras, a própria ABMS e a Universidade Federal de Ouro Preto. Também traremos consultores internacionais de grande renome na área, que dividirão o palco com representantes de entidades regulamentadoras, do mercado e da academia”.

Apoio ao associado

“A crise traz prejuízos, mas também oportunidades de crescer, discutir, desenvolver ideias e projetos que possam ajudar na retomada do crescimento da engenharia civil”, declara Gustavo Vianna. “E o papel de apoiar e levar essas ideias e projetos adiante é da ABMS. Por isso estamos trabalhando duro ao lado de nossos associados, acreditando na melhora e no crescimento saudável e constante da nossa área”.


Comentários


Núcleo Minas quer aproximar-se de seus associados e fortalecer a posição institucional da ABMS no Estado

  1. Gostaria de poder colaborar com os ideais propostos.
    Inicialmente queria me associar ao Nucleo de MG (atualmente sou socio do de SP) e creio que somente com o nosso fortalecimento conseguiremos manter os associados e criar a importância e expressão da especialidade mineira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *