Painel do Associado

Núcleo Rio e ex-presidentes da ABMS discutem deslizamentos com Ministério das Cidades, governo e prefeituras. Dia 7/6, no Rio

quarta-feira, 02 de junho de 2010 comentários

Para evitar a repetição de tragédias geotécnicas, como as ocorridas no último verão em Niterói e no Rio de Janeiro, especialistas e autoridades participam, na próxima segunda-feira, 7 de junho, do Seminário “Chuvas de Abril”. Promovido pelo Clube de Engenharia e Jornal do Brasil, com apoio da ABMS, ABGE e Aeerj, o encontro vai reunir o titular do Ministério das Cidades, Márcio Fortes, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, os prefeitos do Rio, Eduardo Paes, e de Niterói, Jorge Silveira, além dos principais especialistas brasileiros em deslizamentos e estabilidade de encostas.

Entre os palestrantes estão Ian Schumann Martins, presidente do Núcleo Rio da ABMS, e três ex-presidentes da entidade – Willy Lacerda, Alberto Sayão e Francis Bogossian, atual presidente do Clube de Engenharia. “A presença qualificada da ABMS neste Seminário é mais uma demonstração do prestígio de nossa associação”, aponta o presidente Jarbas Milititsky (foto). “E reforça nossa postura de abertura progressiva da ABMS em relação à sociedade, à imprensa, governo e autoridades dos mais diversos níveis”. O encontro acontece no dia 7 de junho de 2010, às 14h30, na sede do Clube (Av. Rio Branco, 124, 25º andar, Centro).

O Seminário “Chuvas de Abril: Lições e Soluções” vai reunir autoridades federais, estaduais e municipais, além de especialistas em deslizamentos e estabilidade de encostas. “O objetivo é fazer com que a esfera federal – ao lado das autoridades estaduais e municipais – participe das discussões, das decisões e atitudes que devem ser adotadas desde já para evitar que se repitam em 2011 as mortes por deslizamentos e chuvas”, destaca Alberto Sayão (foto), ex-presidente da ABMS e professor da PUC-Rio.

“Devemos, ao lado das autoridades, dar continuidade às propostas iniciadas em janeiro para tentar minimizar os efeitos das próximas chuvas”. Sayão se refere às propostas contidas em documento da ABMS e do Clube de Engenharia, apresentado no dia 15 de janeiro deste ano, no qual as duas entidades propõem a criação de um “Plano Nacional de Segurança de Encostas”.

“O deslizamento acontece naturalmente nos municípios – mas este é um problema que merece uma abordagem mais profunda, envolvendo órgãos federais, estaduais e municipais”, sustenta Sayão. O Seminário do próximo dia 7/6 é, para ele, um aprofundamento das discussões e propostas do documento ABMS/Clube de Engenharia. Para acessar o documento, basta seguir este link.

ABMS – A palavra dos especialistas

No elenco de palestrantes estão três ex-presidentes da ABMS (Willy Lacerda, Francis Bogossian, Alberto Sayão) e o presidente do Núcleo Rio da entidade, Ian Schumann Martins. Todos eles tiveram participação ativa na análise das causas e na proposição de soluções para os escorregamentos nos morros cariocas, que deixaram mais de 300 mortos só neste ano.
A ABMS, que reúne os principais especialistas brasileiros em estabilidade de encostas e deslizamentos, tem se manifestado publicamente, através de diversos documentos, propondo medidas concretas para acabar ou reduzir substancialmente as mortes provocadas por deslizamentos.

Desde a tragédia que se abateu sobre Santa Catarina no final de 2008, a Associação vem participando ativamente do socorro às regiões atingidas e da análise dos acontecimentos. Em 16 de abril de 2010, a entidade voltou ao assunto levando a público a “Carta às Autoridades”, com cinco medidas preventivas para evitar a repetição das tragédias geotécnicas. O documento foi produzido em conjunto com a ABGE (Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental). Para acessá-lo, siga o link.

O “Seminário Chuvas de Abril” será dividido em duas partes – a primeira tratará do caso Niterói e o segunda, da cidade do Rio de Janeiro. Na discussão sobre Niterói, o Morro do Bumba será foco. Antônio da Hora, subsecretário do Ambiente e professor da Universidade Federal Fluminense, abordará o assunto. Ele é especializado na temática dos lixões e áreas de depósito e tratamento de lixo.

A segunda parte do Seminário será focada no Rio de Janeiro e nos efeitos das chuvas sobre a cidade. A secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, abordará o tema. Desde os deslizamentos observados em Angra dos Reis no início do ano, Marilene se dedica a viabilizar o repasse de verbas do Estado para que os municípios possam investir na reconstrução das áreas afetadas e em projetos de prevenção para os próximos períodos de chuva.

Estão entre as autoridades e especialistas que vão discutir o assunto o presidente da Empresa Municipal de Urbanização e Saneamento de Niterói (Emusa) José Roberto Mocarzel, o presidente da Geo-Rio, Márcio Mendonça, e o subchefe da Divisão de Geotecnia do Clube de Engenharia, Guilherme Pereira.

O Seminário “Chuvas de Abril: Lições e Soluções” é uma promoção do Clube de Engenharia e Jornal do Brasil, com apoio da ABMS, ABGE e Aeerj. Confira aqui a programação completa.

Presidida pelo engenheiro Jarbas Milititsky, a ABMS é uma entidade de caráter técnico e científico, sem fins lucrativos. Fundada em 1950, reúne engenheiros geotécnicos de todo o Brasil, especialistas em estabilidade de encostas, fundações e obras de infraestrutura.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *