Painel do Associado

“O GeoNE ganhou características nacionais”, diz Ricardo Severo sobre sucesso do evento que ocorreu em Recife

quinta-feira, 28 de novembro de 2019 comentários

O GeoNE 2019 reuniu a comunidade geotécnica local em Recife (PE) para dois dias de troca de experiência e palestras. Estavam presentes 527 participantes. A plateia foi formada por profissionais da área, em sua maioria, mas os estudantes também marcaram presença no evento que ocorreu nos dias 13 e 14 de novembro. As mais de vinte palestras se dividiram em sessões técnicas, casos de obra, palestras temáticas especiais e encontros com a indústria. O professor Joaquim de Oliveira foi o presidente da Comissão Organizadora nessa 6ª edição do evento.

Segundo o presidente do Núcleo Nordeste da ABMS, Ricardo Severo, todas as apresentações foram de alto nível técnico e agradaram bastante ao público, mostrando as tecnologias de ponta usadas pela indústria e trabalhos inovadores apresentados pela academia. O presidente da ABMS, Alexandre Gusmão, comemorou o sucesso do evento, que manteve o brilho das outras edições e envolveu o público.

Severo também comenta a grandeza e a importância do evento. “O GeoNE já ganhou características nacionais. A gente recebe palestrantes e participantes de todos os lugares do Brasil, não só do Nordeste. Mas é muito importante para a região, pois mostra a pujança da geotecnia que fazemos aqui, que sempre fizemos”.

O evento

Após a abertura do simpósio, foi apresentada a tradicional Conferência Jaime Gusmão Filho, em homenagem ao engenheiro Jaime de Azevedo Gusmão Filho, que presidiu a ABMS entre 1982 e 1984. Nesta edição, a conferência foi proferida pelo professor José Fernando Thomé Jucá que, falando sobre geotecnica ambiental, não pode deixar de abordar os casos de contaminação de óleo nas praias do Nordeste.

Um dos momentos marcantes do simpósio foi a homenagem ao professor Roberto Quental Coutinho. Toda edição do GeoNE conta com uma homenagem e o engenheiro foi escolhido pelo conjunto de seu trabalho em prol da geotecnia pernambucana e brasileira. “Identificamos em cada estado as pessoas que contribuíram decisivamente com a geotecnia local e o professor Coutinho foi muito bem escolhido”, diz Severo. “Foi um momento muito importante e que emocionou a todos”.

As sessões técnicas que ocorreram ao longo do evento trataram dos temas: Investigação Geotécnica e Educação em Geotecnia; Barragens e Geotecnia Ambiental; Fundações; Taludes, Contenções e Gestão de Riscos; Infraestrutura e Pavimentação. Os palestrantes responsáveis foram, respectivamente, os engenheiros Erinaldo Cavalcante, Alberto Sayão, ex-presidente da ABMS, Frederico Falconi, Roberto Coutinho e Alexandre Gusmão, presidente da ABMS.

Após cada palestra foram apresentados casos de obra e realizados debates acerca dos temas levantados. Segundo Gusmão, o público participou ativamente dos debates e se mostrou bastante interessado.  Ele ainda destaca uma novidade no evento: uma palestra dedicada à educação em geotecnia. Esse momento contou com a apresentação de dois jovens professores, Pedro Oliveira e Marina Didier, sobre as metodologias de ensino usadas nas universidades.

Empresas do Nordeste e de outras regiões também participaram do simpósio. Além dos estandes montados no evento, quatro empresas promoveram palestras no “Encontro com a Indústria”. Foram elas: Maccaferri, Gerdau, GNG e Amafibra.

Desafio de Taludes

O Desafio de Taludes foi realizado pela primeira vez no GeoNE este ano. Nele, alunos de graduação e pós-graduação em engenharia foram desafiados a construir uma estrutura de obra geotécnica do tipo solo reforçado. Cinco equipes participaram do desafio que foi promovido pela empresa Maccaferri. Todas conseguiram cumprir o desafio e montar estruturas que resistissem às cargas determinadas, ou seja, taludes tecnicamente viáveis, segundo Severo.

O tempo de construção, o consumo de materiais, e a medição dos deslocamentos no carregamento foram decisivos para a pontuação final. A equipe vencedora foi a da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com 212,3 pontos. Com placares próximos, o segundo e o terceiro lugares foram para duas equipes da Escola Politécnica de Pernambuco (Poli-UPE), com 207,9 e 207,5 pontos. “A competição foi bem acirrada e de altíssimo nível técnico”, complementa o presidente do Núcleo Nordeste da ABMS.

 

Confira a galeria de fotos aqui.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *