Painel do Associado

Pluralidade e sucesso de público marcam sétima edição da COBRAE

terça-feira, 21 de novembro de 2017 comentários

Um evento plural, com a contribuição e a participação ativa de acadêmicos, profissionais, estudantes e sociedade. Assim se define a sétima edição da Conferência Brasileira sobre Estabilidade de Encostas – COBRAE, que aconteceu entre os dias 2 e 4 de novembro de 2017 em Florianópolis (SC). Organizada pelo Núcleo Paraná-Santa Catarina da ABMS, a conferência superou a expectativa de público: 470 participantes estiveram presentes ao evento. “Procuramos atender às várias demandas do público e conseguimos executar o plano de maneira muito boa”, conta o presidente da Comissão Organizadora do evento, o engenheiro Luiz Antoniutti. “Foi uma grande satisfação fazer com que essa edição da COBRAE fosse mais plural e aberta”.  Leia a íntegra da reportagem. (Foto: Sandra Puente)

De acordo com Antoniutti, a COBRAE 2017 conseguiu unir acadêmicos, profissionais, estudantes e sociedade num mesmo propósito: discutir as questões referentes à estabilidade de encostas abordando diferentes pontos de vista. “Promovemos o tradicional encontro técnico com as palestras dos acadêmicos da área e abrimos espaço para que os profissionais e as empresas mostrassem suas inovações”, comenta o presidente da Organização. “Concedemos ainda espaço para que os estudantes pudessem debater, tirar dúvidas e testar conhecimentos no Desafio de Taludes”.

“Além disso, trouxemos a sociedade para dentro da Conferência. O objetivo foi levar às pessoas o trabalho dos geotécnicos dentro das áreas de riscos e discutir de que maneira elas poderiam ajudar neste trabalho”, completa Antoniutti.

Os esforços da organização do evento resultaram em sucesso de público e de trabalhos recebidos – 460 artigos foram analisados pela Comissão Técnica. Desse total, 230 foram selecionados para o evento. “Nossa expectativa era receber por volta de 350 pessoas”, comenta o engenheiro Hudson Régis Oliveira, presidente da Comissão Técnica da COBRAE 2017. “Os trabalhos tinham também qualidade técnica muito boa. Ficamos satisfeitos com o nível das apresentações dos artigos”.

 

ABMS e Defesa Civil

Mereceram destaque na Conferência as atividades realizadas com o propósito de discutir a tragédia ocorrida em Santa Catarina em 2008. Em novembro daquele ano, o estado foi castigado com chuvas tão intensas que deixaram 14 cidades em situação de calamidade pública e outras 63 em estado de emergência. As enchentes e os deslizamentos de terra causados pelas chuvas provocaram 135 mortes, seis desaparecimentos e milhares de pessoas ficaram desabrigadas. No total, 1 milhão e 500 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas.

Para unir forças na prevenção de tragédias como aquela, a ABMS e a Defesa Civil de Santa Catarina assinaram, durante a COBRAE, um Termo de Compromisso oficializando o trabalho conjunto das entidades. “Conseguimos, após muitos anos de tentativas, oficializar nosso compromisso de trabalhar junto com a Defesa Civil na prevenção e no apoio ao combate de desastres como aquele ocorrido em 2008”, declara Luiz Antoniutti.

Com o compromisso firmado, a ABMS serve, a partir de agora, como apoio técnico junto à Defesa Civil. “Nosso trabalho irá se concentrar no campo da geotecnia”, diz Antoniutti. “Vamos prestar todo o suporte necessário para ajudar a Defesa Civil do Estado na tomada de decisões. O próximo passo será estruturar como serão esses trabalhos e dar início às ações o quanto antes”.

 

População engajada na percepção de riscos

Seguindo a linha de discussões sobre prevenção de desastres, outra atividade realizada com sucesso foi o minicurso Mobilização Comunitária e Educação para a Redução de Riscos Associados a Deslizamentos, ministrado pelos engenheiros Marcos Barreto de Mendonça (UFRJ – Escola Politécnica) e Leonardo Esteves Freitas (UFRJ-IGEO) no dia 4 de novembro. Voltado ao público geral, o objetivo foi esclarecer a população sobre os deslizamentos de terra, suas consequências e dar orientações sobre o que fazer frente a situações de calamidade.

“De todos os minicursos realizados na COBRAE 2017, este foi o mais bem avaliado”, conta o presidente da Comissão Organizadora. Mais de 60 pessoas participaram do minicurso. “Várias pessoas contaram, inclusive, que ‘se sentiram como se fossem profissionais da área. Todos querem agora ajudar diante da eventual ocorrência de casos semelhantes no futuro”.

 

Novidades da COBRAE 2017

A sétima edição da Conferência trouxe grandes novidades. Uma delas foi o lançamento do aplicativo “ABMS Eventos”, já disponível para download em dispositivos Android e iOS. O app possibilita a interação entre congressistas e palestrantes, facilitando a participação nos eventos da ABMS, apresentando a programação, os materiais e muito mais. A ferramenta foi desenvolvida pela Comissão Técnica da COBRAE, mas todos os eventos vinculados à entidade poderão utilizar o mesmo aplicativo. Saiba mais aqui.

Outra inovação foi o e-pôster Challenge, em que os interessados em apresentar seus trabalhos na COBRAE poderiam enviar, pelo app ABMS Eventos, um pôster digital junto a um vídeo falando sobre seus artigos. Os trabalhos mais votados foram premiados em duas categorias diferentes: modalidade pôster e modalidade oral. Confira quem foram os vencedores no post publicado na fanpage da ABMS acessando aqui.

 

Desafio de Taludes

O Desafio de Taludes, organizado pelo Grupo de Estudos em Geotecnia (GEGEO) e o PET – Engenharia Civil da Universidade Federal do Paraná, com patrocínio da empresa Macafferri, foi uma das atividades que agitaram a Conferência. O jogo, em sua terceira edição, desafiou os alunos de graduação e pós-graduação a executar uma obra geotécnica, em modelo reduzido, simulando a construção de um talude em escala real. O objetivo do desafio é potencializar o interesse dos alunos na área de geotecnia por meio da aplicação prática de conceitos estudados em sala de aula. Saiba qual foi a equipe vencedora do Desafio clicando aqui.

A presença do engenheiro italiano Luciano Picarelli também chamou a atenção dos participantes. O engenheiro ministrou a palestra “What after slope failure?” em que abordou, dentre outros tópicos, as metodologias adotadas em situações de calamidades a em outros países. “Após a palestra, separamos uma sala da COBRAE e organizamos um encontro com o Picarelli para os jovens geotécnicos”, comenta o engenheiro Hudson Régis Oliveira. “Para nossa surpresa, a sala ficou lotada de estudantes que ficaram mais de uma hora perguntando e trocando experiências com o convidado”.

 

Avaliação

De acordo com Hudson Oliveira, presidente da Comissão Técnica da sétima COBRAE, a avaliação geral do público foi excelente. “Dos feedbacks que contabilizamos, a maioria dos participantes avaliou o evento de bom a ótimo, o que nos deixou muito satisfeitos”.

Para Luiz Antoniutti, “a COBRAE 2017 foi um sucesso principalmente porque a comunidade geotécnica brasileira é forte”. “Sinto-me honrado em fazer parte desse time e ainda mais por ter sido chamado para presidir a Conferência”.

“Além disso, sinto-me lisonjeado pela oportunidade de liderar uma equipe tão competente na realização dessa edição da COBRAE. Todos estiveram muito envolvidos e dedicados ao evento e presto meus agradecimentos à toda Comissão Organizadora e à ABMS pelo apoio”.

 

 

 

 

 

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *