Painel do Associado

Prêmio ABMS Costa Nunes é entregue à engenheira Thaise Morais

sexta-feira, 27 de novembro de 2020 comentários

O Prêmio Costa Nunes da ABMS, responsável por destacar o autor da melhor tese de doutorado do último biênio, já tem uma vencedora. A engenheira civil Thaise Morais foi nomeada ganhadora da edição de 2018-2019 do Prêmio com o trabalho “Comportamento térmico e termomecânico de fundações por estacas trocadoras de calor em solos não saturados em região de clima subtropical”.  Thaise concluiu o doutorado em Ciências pelo programa de pós-graduação em Geotecnia da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP), com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cinetítico e Tecnológico (CNPq). Sua orientadora foi a Dr.ª Cristina de Hollanda Cavalcanti Tsuha, professora associada da EESC-USP.

Sua tese avaliou o comportamento térmico e termomecânico de fundações por estacas trocadoras de calor instaladas em condições típicas de solo e clima do Brasil.  As estacas trocadoras de calor são um novo tipo de fundação que, agora, também atuam como trocador de calor, permitindo a troca de energia térmica entre uma edificação e o solo superficial, quando acopladas a um equipamento denominado bomba de calor geotérmica. Essa tecnologia permite a utilização do solo superficial como uma fonte e/ou reservatório de energia térmica, visando à climatização de edificações utilizando energia limpa e amplamente disponível, sendo assim sustentável, reduzindo significativamente os custos operacionais da edificação.

Um tema inovador

Thaise destaca que o tema da pesquisa foi proposto por sua orientadora e que a escolha se deu em razão do assunto ainda não ser abordado no Brasil, o que fez com que o desafio fosse ainda maior. “Acreditamos que seria uma excelente oportunidade de divulgar para a comunidade geotécnica a pesquisa que foi desenvolvida na EESC-USP, visto ser um tema inovador e ainda não explorado no Brasil.” A engenheira conta que a sua tese foi completamente experimental, com ensaios de campo e de laboratório.

Thaise ressalta o suporte dado por sua orientadora durante a pesquisa. A engenheira conta que a professora Cristina contribuiu em todos os aspectos e que sua orientação foi primordial para levar o Prêmio da ABMS para casa. “Desde a obtenção de recursos junto ao órgão de fomento, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), na programação dos testes experimentais, análise e discussão dos resultados e publicação de artigos”, conta.

O envolvimento com a geotecnia

A engenheira relata que a paixão pela geotecnia surgiu no segundo ano da faculdade de engenharia civil na Universidade Federal de Alagoas (UFAL). As disciplinas de mecânica dos solos, mecânica das rochas e fundações foram as responsáveis por despertar o seu interesse pela área.

 
Thaise é associada à ABMS desde 2010, enquanto ainda estava na graduação. Desde então, a engenheira participa de congressos, encontros, palestras e eventos promovidos pela Associação, o que contribuiu muito na sua formação.

Na primeira fase, a tese de doutorado da engenheira Thaise concorreu com outros 15 trabalhos. Na segunda fase, a Comissão Julgadora da ABMS, indicada pelo Conselho Diretor da Associação, elegeu a pesquisa de Thaise como a melhor entre os outros cinco trabalhos avaliados.

A divulgação dos vencedores ocorreu durante Reunião do Conselho Diretor da ABMS no dia 4/11. O encontro aconteceu de forma online e foi mediada pelo atual presidente da ABMS, Alexandre Gusmão.

Thaise da Silva Oliveira Morais

Thaise é engenheira civil formada pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), mestre e Doutora em Ciências pelo programa de pós-graduação em Geotecnia da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP). Ela possui experiência em engenharia de fundações, tendo atuado em pesquisas relacionadas a fundações por estacas trocadoras de calor (energy piles), solos tropicais não saturados, ensaios geotécnicos e térmicos in situ e em laboratório, instrumentação para aplicações geotécnicas, provas de carga instrumentadas em fundações.

Atualmente desenvolve estágio de pós-doutoramento e é professora contratada do departamento de geotecnia da EESC-USP, lecionando as disciplinas de fundações no curso de engenharia civil e mecânica dos solos e fundações no curso de arquitetura e urbanismo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *