Painel do Associado

Barragens

Nota Oficial da ABMS sobre o acidente na barragem da Mina de Feijão, em Brumadinho, MG sexta-feira, 25 de janeiro de 2019 21:25

Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica – ABMS Nota Oficial A Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica – ABMS, entidade técnica fundada em 1950 e que congrega profissionais e pesquisadores da área de geotecnia, se solidariza com as famílias das vítimas do acidente ocorrido na barragem da Mina de […]

Rompimento de barragem deixa centenas de desabrigados no Laos. Mortes também já foram confirmadas terça-feira, 24 de julho de 2018 18:19

O rompimento de uma barragem no Laos liberou 5 bilhões de metros cúbicos de água, inundando seis aldeias e deixando mais de 6 mil de pessoas desabrigadas e centenas de desaparecidos. A agência oficial do país confirmou que há mortos, mas o número ainda não foi divulgado. A represa Xepian-Xe Nam Noy, que está em […]

IPT oferece pós-graduação em Segurança de Barragens sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018 17:02

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), junto com a Fundação de Apoio ao IPT (FIPT), o Centro Tecnológico de Hidráulica e o Recursos Hídricos (CTH) do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), organiza o curso de Especialização em Segurança de Barragens com o objetivo de promover a capacitação e a atualização técnica de profissionais […]

International Council on Mining and Metals divulga acordo para melhorar a gestão das barragens de rejeitos terça-feira, 13 de dezembro de 2016 18:52

O ICMM – International Council on Mining and Metals – divulgou um acordo após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, MG, com o objetivo de tornar mais seguras as barragens de rejeitos. O acordo obriga os 23 membros do Conselho a melhorar a gestão deste tipo de barragem em suas operações globais. Um […]

Sucesso absoluto de público marca 5º Debate Nacional sobre Segurança de Barragens de Rejeitos quinta-feira, 01 de dezembro de 2016 12:21

Após um ano do acidente que aconteceu em Mariana (MG), com o rompimento da barragem de rejeitos de Fundão que resultou em uma das maiores tragédias socioambientais do país, engenheiros e especialistas do tema se reuniram, nos dias 3 e 4 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) para o 5º […]

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Comentários

  • O certo seria o governo cassar a outorgs ( o direito ) da Vale de explorar minerio no territorio brasileiro.
    Abracos a todos

  • Nao entendi. Um laureado por vcs está preso! De que adianta esta solidaridade? A comissao que concedeu este prênio deveria ser execrada e vcs deviam é pedir desculpas! Irresponsaveis!

  • BARRAGENS ROMPEM POR EXCESSO DE “GESTÃO” E FALTA DE ENGENHARIA
    A crise, o oportunismo e a ganância mudam a escala de valores e prioridades da sociedade.
    Engenheiros experientes, no auge do conhecimento, são praticamente enterrados vivos pelo mercado de trabalho, não se trata de octagenârios, 30 anos já está “obsoleto”, mas pode piorar, se for mulher, tiver filhos pequenos ou for negro, é quase um pária.
    Os substitutos são recém-formados bem intencionados, mas inexperientes com um monte de “títulos”… MBA, PMI, desruptivo, conectado, multi-tarefa, todavia, para grande parte das atividades, as tecnologias não são tão avançadas, que se possa prescindir de experiência, quando se trata de engenharia, isto pode implicar em perdas materiais e vidas humanas.
    Processos são mapeados por quem nunca pôs os pés no barro, metodologias são propostas por analfabetos em física e química, equipes são montadas sem critério técnico, desconhecedores de leis e normas, montadores de projetos financeiros irresponsáveis, riscos são levantados por inexperientes, ora subestimados, ora superestimados, propondo respostas equivocas, que fazem as empresas jogarem dinheiro fora, ISTO NÃO É “COMPLIANCE” É O CONTRÁRIO DELA, mas a esmagadora maioria dos “gerentes de projeto” não tem a menor idéia sequer de onde estão errando, mas ganham 1/5 de um profissional capacitado, então, muitas empresas acham que compensa.
    Chegamos ao Estado, vamos malhar o IBAMA, insinuar negligência, imprudência, imperícia, corrupção, tudo isto pode ocorrer, mas não é o pior, o IBAMA está sendo desmantelado com método à décadas (oxalá está tragédia sirva para mudar), temos leis propositadamente ruins, somadas à nossa tradicional impunidade, para quem tiver muito dinheiro, fica barato destruir patrimônios alheios e sacrificar vidas humanas, o Estado finge que faz e jogar dinheiro fora.
    O Brasil precisa saber que está em grave risco, a maior parte da nossa infraestrutura está podre (hidroelétricas, ferrovias, estradas, linhas de transmissão, saneamento, etc.), já passou do tempo de vida útil, a anos, sem revitalização ou reforma, para piorar, são super utilizadas, por falta de novas.
    As consequências já são sentidas, grande parte dos acidentes automobilísticos por exemplo, são causados pelas péssimas condições e inadequação das estradas.
    A infraestrutura precisa ser tratada como política de estado e segurança nacional, o tempo urge; o novo governo tem obrigação de criar um ambiente institucional, financeiro e político seguros, para que o capital privado nacional e estrangeiro se sintam estimulados a investir, do contrário, muitas mais vítimas de tragédias virão.