Painel do Associado

WebGeo: sucesso de público marca 1ª Sessão Técnica

quarta-feira, 16 de setembro de 2020 comentários

O WebGeo – Simpósio Digital de Geotecnia – recebeu o ex-presidente da ABMS Jarbas Milititsky para proferir palestra em sua 1ª Sessão Técnica. Presidida pelo engenheiro Ivan Vianna e mediada pela engenheira Neusa Mota, a Sessão Técnica tratou do tema Fundações e Contenções e também recebeu a apresentação de casos de obra das empresas Gerdau e GNG Fundações, associadas coletivas da ABMS. A Sessão registrou sucesso de público tendo sido acompanhada por mais de 300 pessoas, que assistiram simultaneamente às palestras por meio digital.

Milititsky discorreu sobre o tema “Fundações de aerogeradores – prática e incertezas associadas”. Ele ressaltou uma característica importante desse tipo de obra: a implantação de fundações de aerogeradores é associada a terrenos que não possuem experiência de obra prévia. Daí a importância de se investir em estudos e em investigação geotécnica.

Para corroborar sua afirmação, o palestrante comentou que acidentes com aerogeradores podem ser graves e apresentou estatísticas de acidentes envolvendo esse tipo de estrutura. Falou também sobre solos problemáticos, como identifica-los e qual é a prática atual no Brasil com relação à investigação dos solos.

Tipos de fundação, práticas internacionais

Foram três os tipos de fundação para aerogeradores apresentados pelo engenheiro. Podem ser diretas, a mais comum, estaqueadas (feitas em blocos de fundação com estacas verticais ou inclinadas) ou especiais (quando não se enquadram nas definições anteriores).

O engenheiro explicou que os fatores que afetam a escolha pelo tipo de fundação envolvem a segurança da obra, o desempenho, a confiabilidade, os custos, a velocidade construtiva e principalmente a sustentabilidade.

Milititsky abordou ainda a verificação de cálculo de cada tipo de fundação. Existem diferentes práticas adotadas para tais tipos, como a prática francesa, a inglesa, a norte-americana e também a brasileira. O palestrante ressaltou, no entanto, que a aplicação de métodos de cálculo de origem internacional em obras feitas no Brasil precisa ter a devida adequação, considerando as condições e a normalização brasileira.

Milititsky finalizou sua apresentação comentando que o objetivo da palestra foi o de compartilhar com o público sua experiência de muitos anos na solução de problemas de elaboração e revisão de projetos de fundações de aerogeradores em seus inúmeros aspectos.

Casos de Obra

Em seguida, a Sessão Técnica recebeu os engenheiros Enrique Marchetti Rios e Felipe Xavier, da Gerdau, para apresentarem o tema “Fundação profunda de galpão portuário atravessando camada de enrocamento, projeto e execução”. O caso de obra envolveu o projeto e a execução de fundações profundas para a construção de armazéns no Porto de Santos.

Os engenheiros detalharam os desafios do projeto e como os superaram com soluções que uniram técnicas diferentes de cravação de estacas, arrancando elogios do público.

Representando a empresa GNG Fundações, o engenheiro José Claudio Filho, sócio e diretor comercial da empresa, abordou o tema “Parque Eólico Norte do CE – controle na execução de HCE em solos resistentes/rochas brandas”. Na apresentação, o engenheiro comentou a respeito do uso de estaca de hélice contínua especial na obra desempenhada pela empresa. O público mostrou-se muito interessado nas características do equipamento e também elogiou a apresentação.

Debate

Ao final da Sessão Técnica, todos os participantes da noite reuniram-se para um debate sobre os temas tratados. Ivan Vianna, que foi presidente do Núcleo Minas Gerais da ABMS, enalteceu a qualidade das palestras em sua fala. Em seguida, Neusa Mota, que é a atual presidente da Comissão Técnica de Fundações da ABMS, deu início às discussões apresentando as dúvidas do público aos palestrantes.

Com apresentações de grandes nomes da comunidade técnica e a ativa participação do público, o primeiro dia de WebGeo foi um grande sucesso.

Leia também:

ABMS abre WebGeo com a entrega dos prêmios José Machado e Manuel Rocha


Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *