Painel do Associado

Willy Lacerda: A trajetória de um mestre

sexta-feira, 30 de novembro de 2018 comentários

O presidente da ABMS, Alessander Kormann, aborda neste editorial a iniciativa de homenagear o professor Willy Lacerda, presidente da Associação de 1996 a 2000: “A ABMS tem a satisfação de apresentar a seus associados e ao público em geral um vídeo especialmente produzido em homenagem ao professor Willy Lacerda, um dos nomes mais brilhantes da geotecnia brasileira e internacional”. “Ele é a maior autoridade mundial em encostas”, declara neste vídeo Sandro Sandroni. Willy, como é chamado por colegas, amigos e até pelos alunos, é o foco desta edição da série “Personagens Históricos”, por meio da qual a ABMS vem promovendo um registro vivo da trajetória de seus maiores talentos e ex-presidentes. Já tivemos a oportunidade de mostrar o percurso de Milton Vargas, Fernando Emmanuel Barata e Jaime Gusmão Filho – todos ex-presidentes da nossa Associação. Chegou a vez de Willy Lacerda.

 

Aos 82 anos, Willy é um nome sempre presente quando se pensa nos profissionais e acadêmicos brasileiros de maior destaque. Willy construiu uma trajetória reluzente no meio acadêmico, como professor da Coppe/UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e também como empreendedor e líder de projetos.

Entre as atividades realizadas ao longo de sua vida profissional, Willy destacou-se por sua atuação, a partir da década de 1960, no estudo das encostas na cidade do Rio de Janeiro e na implantação de projetos para estabilizar os morros cariocas, com o objetivo de evitar a repetição dos trágicos escorregamentos havidos naquele período.

Através de órgãos criados pelas autoridades estaduais e municipais, como o Instituto de Geotécnica e a GEORIO, Willy liderou um grupo de engenheiros geotécnicos e profissionais de áreas afins no estudo das encostas cariocas, com a finalidade de implantar um programa de obras para reduzir substancialmente os riscos de deslizamentos e as consequentes perdas de vidas humanas e de prejuízos materiais.

O Brasil não logrou evitar, no entanto, a ocorrência de fenômenos semelhantes em outras regiões, como em Santa Catarina, em 2008, e nas Serras Fluminense e do Mar (PR-SC), em 2011. A mais recente tragédia vitimou 14 pessoas com o deslizamento de parte do morro da Boa Esperança, em Niterói, no dia 10 de novembro deste ano.

A persistência desses episódios reforça ainda mais a importância do trabalho realizado por Willy Lacerda e outros geotécnicos no Rio de Janeiro. A ABMS vem fazendo um esforço permanente para apoiar estudos e o desenvolvimento de medidas de prevenção e de mitigação. Mas sem dúvida ainda há muito a ser feito no país.

O vídeo mostra que o envolvimento de Willy com a geotecnia nasceu na Escola Nacional de Engenharia, onde ele teve o privilégio de ser aluno dos professores Fernando Emmanuel Barata e Antonio Costa Nunes.

“Você não sabe o que é ter aulas com o professor Barata”, conta Willy Lacerda, com o bom humor que lhe é característico. “Ele é feito um flautista de Hamelin”, afirma Willy, citando o célebre conto “O Flautista de Hamelin”, na versão dos Irmãos Grimm.

O professor Costa Nunes, que também presidiu a ABMS (de 1952 a 1954), teve notável importância na vida de Willy Lacerda. Ele foi assistente de Costa Nunes na Escola de Engenharia e, depois de formado, passou a trabalhar na empresa do professor.

Mas Willy almejava voos mais ambiciosos. Queria estudar na Universidade da Califórnia, em Berkeley, com o professor William Houston, que era um de seus ídolos à época. Voltou de lá com um doutorado na mão e novas ideias e técnicas na cabeça, pronto para seguir sua carreira acadêmica e profissional no Brasil.

É este vídeo encantador que agora apresentamos aos nossos associados. Além de todas as suas qualidades técnicas, Willy Lacerda é um homem de saber enciclopédico, uma pessoa culta na mais ampla acepção do termo.

Convidamos a todos para uma breve imersão no universo proporcionado pelo vídeo. Sairemos desta experiência alegres e satisfeitos pelo contato com essa presença brilhante, bem-humorada e amigável de Willy Lacerda.

Agradecemos a todos os que contribuíram para a realização do trabalho, especialmente aos colegas que aceitaram o convite para registrar seus depoimentos: os professores Sandro Sandroni, Mauricio Erlich, Ian Schumann, Roberto Coutinho, Silvio Romero e Márcio Almeida. É um privilégio para a ABMS poder contar com talentos desse quilate.

Alessander Kormann
Presidente da ABMS


Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *